Notícias

< Volta para Notícias

Caixa anuncia regras e prazos pra saques do FGTS e cotas do PIS

05 de Agosto de 2019 - Economia

Marcelo Camargo / Agência Brasil

Em coletiva à imprensa realizada nesta segunda-feira (5), a Caixa Econômica Federal apresenta as regras para saques das contas ativas e inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e também de cotas do PIS.

Conforme a Medida Provisória nº 889, as liberações relacionadas ao FGTS ocorrerão de setembro deste ano a março de 2020. Os trabalhadores poderão retirar até R$ 500 por conta. De acordo com a MP, os saques poderão ser feitos entre etembro deste ano a março de 2020. A expectativa do Ministério da Economia é alcançar 96 milhões de trabalhadores e injetar R$ 30 bilhões na economia.

Além do saque imediato, a MP 889 traz a modalidade do saque aniversário que prevê, a partir de 2020, a possibilidade de o trabalhador retirar, anualmente, um percentual de seu saldo no FGTS. A previsão é de que o saque aniversário dê aos trabalhadores acesso a R$ 12 bilhões.

A liberação dos saques depende, no entanto, da adesão individual do trabalhador. As duas modalidades de saque criadas pela MP somam R$ 42 bilhões para serem liberados em 16 meses (quatro de 2019 e doze de 2020).

Em relação aos cotistas do Fundo do PIS/Pasep, que atendia a trabalhadores com carteira assinada antes da Constituição de 1988, o governo pretende permitir o saque de R$ 2 bilhões, de um estoque total de R$ 23 bilhões.


Fonte: Agência Brasil

< Volta para Notícias

Notícias Relacionadas

  • 09/09/2019

    Contribuinte pode consultar 4º lote de restituição do IR

    Saiba mais
  • 09/09/2019

    Começa nesta semana pagamento de R$ 500 por conta do FGTS

    Saiba mais
  • 03/09/2019

    Lucro líquido da Caixa no primeiro semestre aumenta 22,2%

    Saiba mais
  • 03/09/2019

    Taxa de desemprego no Brasil cai para 11,8% em julho, diz IBGE

    Saiba mais
  • 29/08/2019

    Recuperação da economia é a mais fraca em 40 anos

    Saiba mais
  • 27/08/2019

    Bancários se opõem à abertura de agências aos sábados: "Exploração dos trabalhadores"

    Saiba mais